quinta-feira, 13 de março de 2014


Título original: The Killing Art

Sinopse:

Há muito que Kate McKinnon trocou o seu trabalho como detective da Polícia de Nova Iorque pela sua paixão pela história da arte. Mas quando uma pintura que doara ao Museu Modernista aparece vandalizada e outros crimes relacionados, incluindo homicídio, se sucedem, Kate sabe que pode combinar a sua experiência e os seus conhecimentos de ambos os mundos para ajudar a descobrir quem é o responsável.
A Arte de Matar inclui ilustrações do autor que traçam um percurso de crescente suspense e que, combinadas com um enredo que retrata o submundo do meio artístico nova-iorquino, criam um novo thriller magistral.

Opinião:

Introduzindo-o em plena esfera do Expressionismo Abstracto americano, o factor que mais se destaca em A Arte de Matar são as imagens das obras de arte - as pistas - que vão surgindo no contexto narrativa, o que aproxima o leitor daquilo que as personagens estão a ver para lá de uma simples descrição textual que nunca poderia abranger todos os detalhes. No entanto, se no início fiquei preso às páginas, lá para a segunda metade do livro fui perdendo o interesse...

As personagens, não estando mal construídas, não foram especialmente marcantes. Não consegui sentir empatia por elas, mas isto poderá dever-se a não ter lido os livros anteriores da série, cujas consequências dos eventos aí retratados fazem parte da caracterização de Kate.

Por outro lado, parece-me que a partir de certa altura a história tomou um rumo que, no fim, pouco ou nada contribuiu para a resolução do caso, estendendo demasiado o foco num pequeno conjunto de suspeitos ao invés de tentar antecipar os próximos passos do verdadeiro culpado através das pistas recolhidas. Se bem que o final não foi, por isso mesmo, nada previsível, considero que as conclusões foram construídas à base de algumas conjecturas demasiado apressadas, embora não tenha deixado quaisquer pontas soltas.

Não foi uma má leitura, mas ficou aquém das expectativas e está longe de estar entre os melhores dentro do género em que se insere. Vale pela originalidade de usar a arte visual em seu proveito. 

Classificação: 3/5

12 comentários:

  1. Não faz muito o meu género e depois da tua opinião não fiquei com muita curiosidade >.<

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é dos melhores livros do género, portanto acho que fazes bem :P

      Eliminar
  2. Viva José,

    Vejo que não te das bem com as artes de matar e ainda bem para os teus seguidores ehehe

    Pena que não tenhas gostado, penso que tinha tudo para ser um livro interessante e até é um genero que nos proporciona bons momentos, mistérios, suspense mas pronto quando as personagens não nos cativam fica mais dificil :(

    Abraço e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, sou muito pacífico xD
      Pois, se as pistas tivessem tido um papel mais relevante, se tivessem sido mais úteis, era capaz de ter gostado bastante, mas tal não aconteceu e não passou de mais um livro :/

      Eliminar
  3. Estive quase para trazer esse, mas nem sabia que fazia parte de uma série o.O Ainda bem que não o trouxe :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que escolheste outro ;) Pelo lado positivo, custou só um euro dos portes dos livros extras xD

      Eliminar
    2. Quando o ia mandar, só tinha mesmo pontos para 1 livro. Então mandei vir o do Nobody Owens (extra) em vez deste ou do Observações (estava na dúvida)

      Eliminar
    3. Não conheço o do Observações, mas fizeste bem em escolher o do Nobody Owens em vez deste ;)

      Eliminar
  4. Estive para adquirir este livro na campanha da Presença porque a sinopse me cativou, mas depois de ler a tua opinião percebo que foi melhor não o fazer, ainda para mais tratando-se de uma saga...

    Boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de mais, bem-vinda ao blog! :D
      Embora o argumento em si seja independente dos anteriores, é possível que fosse suposto o leitor já conhecer melhor a Kate neste ponto... Mesmo assim isso não foi o que menos me incomodou, mas sim o desenvolvimento da história :/

      Eliminar
  5. A sinopse parece interessante, e gostei imenso da ideia das imagens, que nessa história parece que fazem todo o sentido estarem presentes. Pena que depois o texto em si não tenha acompanhado...

    ResponderEliminar

Pesquisar