sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A cada dia que vou deixando atrás no tempo, a minha mente entra em mutação: o certo passa a ser incerto, os gostos alteram-se, as minhas ideias sobre o mundo modificam-se um pouco, a maneira de pensar passa a ter em conta outros factores até então invisíveis...
Dou por mim a verificar que o que fora um conceito definido desde há muito, preto sobre o branco, permuta em várias cores, transforma-se num cinzento intermédio, qual complexa realidade.

Eis o motivo pelo que aprendi a nunca dizer nunca.

1 comentário:

  1. Totalmente de acordo, comigo acontece o mesmo, por vezes.

    ResponderEliminar

Pesquisar